/
Minas do Limarinho
Bobadela
Ponto a visitar
 
Minas do Limarinho, Bobadela
Localizada a nascente da ribeira do Calvão, a frente de exploração do Limarinho corresponde a uma mina de ouro a céu aberto, explorada de forma extensiva entre meados do séc. I e o séc. IV. Entrando pela grande trincheira que, desde a margem do ribeiro, dá acesso ao núcleo central da exploração, é possível observar, com grande detalhe, aquele que é, atualmente, o mais espetacular cenário mineiro antigo do Vale Superior do Rio Terva. Aqui se aglomeram grandes cortas de desmonte, pirâmides residuais, trincheiras, poços verticais e galerias, que divergem da lagoa do Limarinho, resultante também ela da exploração de mineira. A atividade extrativa terá sido descontinuada no entorno do séc. IV, estando documentado, entretanto, o interesse pontual na retoma da exploração ao longo de vários momentos da História, sem prova física de que estes intentos tenham dado lugar a uma nova exploração organizada e intensiva dos recursos minerais desta área.
As minas do Limarinho encontram-se atualmente recobertas por bosques de carvalho, sendo habitat para uma das maiores comunidades do país de Cágados-de-Carapaça-Estriada.
As margens da lagoa servem ainda de abrigo a um dos observatórios de património do PAVT, a partir do qual poderá, de forma inequívoca, compreender o impacte e os movimento de transformação da Paisagem operados por mão humana naquela que é uma das maiores explorações proto-industriais de ouro da Antiguidade Clássica na Península Ibérica.
O Limarinho integra o conjunto classificado pelo Estado Português como Sítio de Interesse Público, promulgado pela Portaria n.º 386/2013 (DR, 2.º Série, n.º 115 de 18 de Junho de 2013), pela sua unicidade, enquanto parte fundamental do Complexo Mineiro Antigo do Vale Superior do Rio Terva, em Boticas.
Características